HARDWARE EMBARCADO DE BAIXO CUSTO PARA MEDIÇÃO DE PRESSÃO ARTERIAL COM RECURSOS DE INTERNET DAS COISAS

Dantas, Evandson Claude Seabra

Resumo

A Pressão Arterial é representada por um conjunto de métricas que referem-se a pres são exercida pelo sangue nas paredes das artérias. A medição pode ser realizada por dois tipos de procedimentos: (i) invasivos; (ii) não–invasivos; Os procedimentos invasivos são mais precisos, porém, causam desconforto ao paciente e os expõe a riscos de infecções. Os procedimentos não–invasivos costumam ser práticos e rápidos, e possuem acurácia estabelecida na Medicina. O método mais popular para medir a Pressão Arterial, por meio de procedimentos não–invasivos, é realizado com a utilização de Esfigmomanômetros. Estes são encontra dos em duas versões: (i) os analógicos; (ii) os digitais; Os Esfigmomanômetros analógicos são amplamente difundidos em clínicas e hospitais e são utilizados em conjunto com algum método para medição, ao qual destacam-se o método auscultatório, que baseia-se no monitoramento dos sons de Korotkov e o método palpatório, que baseia-se no tateamento do pulso. Por outro lado, Os Esfigmomanômetros Digitais baseiam-se no método oscilométrico, monitorando os pulsos oscilométricos que surgem no manguito à medida que este é gradualmente desinflado. Com a finalidade de desenvolver um Hardware Embarcado utilizando recursos de internet das coisas para medir a pressão arterial, foi desenvolvido um protótipo baseado na substituição do manômetro pelo transdutor de pressão MPX2050 da Freescale Semiconductor, com finalidade de realizar a digitalização do sinal. Para implementação do método oscilométrico foi necessário desenvolver um circuito eletrônico que condiciona o sinal da pressão, separando a pressão imediata do manguito dos pulsos oscilométricos. Para o cálculo da Pressão Arterial, foi adotado o procedimento de identificar o pulso oscilométrico de maior amplitude e os pulsos correspondentes às frações de 0,5 e 0,66 para a Pressão Arterial Sistólica e Pressão Arterial Diastólica, respectivamente. Para testar a eficiência do protótipo desenvolvido foram realizados testes em cinco condições distintas de pressão, com a utiliza-ção de um simulador físico específico para validação. Das condições testadas verificou-se que apenas uma medida ficou fora das especificações do Inmetro/Dimel. Os resultados obtidos apontam para um erro médio de 2,83% para a Pressão Arterial Sistólica e 1,94% para a Pressão Arterial Diastólica. Os resultados obtidos de cada medição são atualizados e armazenados continuamente em uma página Web, hospedada no próprio dispositivo. Estas informações ficam disponíveis através da internet para monitoramento remoto pela equipe médica.

Citação

Artigo Completo

Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.