Análise Espaçotemporal da Cobertura Vegetal e da Precipitação Pluviométrica na Bacia Hidrográfica do Rio Picuí

NASCIMENTO, José
SILVEIRA, Thiago
PEREIRA, Frederico

Resumo

O Semiárido brasileiro apresenta importantes transformações, em grande parte, causadas por ações antrópicas que buscam atender à determinadas necessidades. Entretanto, estas alterações na vegetação de Caatinga, ocorrem de maneira que provocam importantes efeitos e/ou impactos ambientais, acarretando em problemas socioeconômicos neste espaço geográfico. Neste sentido o presente trabalho realiza uma análise espaçotemporal da cobertura vegetal e da precipitação pluviométrica, na bacia hidrográfica do Rio Picuí para os anos de 2001 e 2015. Para isto, com o uso do software de SIG ArcGIS 10.1, nas análises da vegetação foram empregadas imagens dos satélites LANDSAT 7 e 8, através da aplicação do Índice de Vegetal por Diferença Normatizada (IVDN). Nos aspcetos geo-geomorfológicos utilizou-se o Modelo Digital de Elevação (MDE) extraído do produto SRTM. Já na análise espaçotemporal climatológica, foram usados dados observados de precipitação das estações de monitoramento (Baraúnas, Frei Martinho, Picuí, Nova Floresta e Nova Palmeira), através do método de interpolação Inverso do Quadrado da Distância (IDW). E a caracterização morfométrica da referida bacia hidrográfica foi realizada através de índices morfométricos. Os resultados obtidos apontaram que na bacia predominam altitudes entre 348 a 728 m, a declividade apresenta-se acentuada em cerca de 16% da área total da bacia, são encontrados os tipos de solos são: LUVISSOLOS, LATOSSOLOS e NEOSSOLOS. No que refere-se a morfometria, a bacia apresenta uma rede de drenagem dentrítica e de 5º ordem, além de ter uma baixa probabilidade de grandes enchentes, devido sua forma alongada. Com o IVDN demonstrou-se que para os anos estudados, a vegetação concentra-se, na sua maioria, na porção Leste da bacia, as modificações na cobertura vegetal demonstraram-se significativas para algumas classes (Subarbustiva rala e Subarbustiva aberta, cujas áreas diminuíram em 2015, 3,2% e 2,3 %, respectivamente). Acerca da espacialização da precipitação os volumes mais expressivos correspondem às áreas a Leste e Nordeste da bacia hidrográfica. Deste modo, o estudo apresenta uma relação espaçotemporal significativa entre a vegetação e a precipitação. Portanto, evidenciou-se que, a utilização dos procedimentos métodos apresentou significativa eficiência para o objetivo do estudo. Uma vez que permitiu analisar as transformações de maneira satisfatória na bacia hidrográfica do Rio Picuí.

Citação

Artigo Completo

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.