Agrotóxicos e seus Riscos em Estabelecimentos Comerciais numa Cidade do Estado da Paraíba

SILVA, Lázaro
PINTO, Érika

Resumo

O corrente estudo teve como objetivo reconhecer os agrotóxicos e seus riscos em estabelecimentos comerciais numa cidade da Paraíba. Foi utilizada uma lista de verificação conduzida pelo avaliador, para reconhecer os riscos químicos causados pelos agrotóxicos nos estabelecimentos comerciais da cidade, com ênfase nos riscos ocupacionais. Com auxílio da FISPQ e da bula, de cada defensivo foram feitas análises quanto ao uso, nível de toxidade, efeitos adversos à saúde e medidas de controle e segurança. A verificação dos riscos químicos foi feita em 03 (três) estabelecimentos, com tempo de comercialização de 05 a mais de 20 anos de experiência no ramo de defensivos químicos. Foi identificado a venda de 27 tipos de agrotóxicos, entre inseticidas ou acaricidas, herbicidas e fungicidas, dentre eles, 25 diferentes produtos são classificados como “muito perigoso” (15) ou “perigoso” (10) ao meio ambiente, e apenas 02 são “altamente danoso” ou “pouco perigoso”. Para a classificação toxicológica, 15 produtos são “extremamente tóxico” à saúde (classe I), 06 “altamente tóxico”, 05 “medianamente tóxico” e apenas 01 é “pouco tóxico” à saúde. As vendas são realizadas mediante a prescrição do profissional agrônomo que é o proprietário ou sócio do empreendimento. Foi verificado também que em duas das três empresas não pratica o recolhimento ou recebimento das embalagens vazias, porém mostraram-se prestativas em realizar assistência técnica aos produtores rurais que adquire os agrotóxicos. Portanto, como a absorção dos agrotóxicos pelo corpo humano se dá através das vias oral, dérmica, inalatória e ocular, não se dispensa em hipótese alguma a combinação entre as medidas de controle de engenharia e o uso correto dos EPI adequados.

Citação

Artigo Completo

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.