Ruído Ocupacional em uma Fábrica de Bolas Situada no Semiárido da Paraíba

RIBEIRO, Terezinha
VASCONCELOS, Diogo

Resumo

Com a Revolução Industrial ocorreu a transição de métodos de produção artesanais para a produção por máquinas, acarretando assim no surgimento de uma série de riscos ocupacionais que antes não estavam presentes, ou que se apresentavam em menor escala. Dentre os riscos trazidos com a maquinofatura está o risco físico ruído, cuja exposição acima dos limites permitidos pode trazer uma série de danos à saúde do trabalhador. O presente trabalho teve por objetivo analisar o nível de exposição ocupacional ao ruído ao qual estão expostos os trabalhadores de uma fábrica de bolas. Através dos procedimentos estabelecidos na Norma de Higiene Ocupacional da FUNDACENTRO NHO-01, realizou-se um levantamento quantitativo que possibilitou quantificar e analisar o risco físico ruído no ambiente de trabalho. Os dados obtidos foram comparados com os limites de tolerância estabelecidos na Norma Regulamentadora NR-15. Como resultado chegou-se à conclusão de que o nível de pressão sonora está abaixo do limite de tolerância (72,60 dB(A)), não sendo necessárias medidas de controle no ambiente ou no trabalhador. Ressalta-se aqui a importância de um constante monitoramento das condições ambientais de trabalho para que esta situação de salubridade continue presente no local.

Citação

Artigo Completo

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.